Sobre Alexandre Maia Lago

Captura de tela de 2017 06 28 00 10 21ALEXANDRE MAIA LAGO é advogado graduado pela UFMA desde 1993. Um apaixonado por história, filosofia e literatura, possui uma coluna dominical no Jornal Pequeno dedicada a assuntos literários.

Avaliação do Usuário

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa
 
Pin It
Não se trata de um livro, mas um poema, embora seu autor os tenha em quantidade suficiente para alguns livros. Aliás, despretensiosamente, ele declama em qualquer oportunidade. E o faz num comprometimento capaz de julgarmos tratar-se de profissional contratado. Patativa do Assaré, Fernando Pessoa, Augusto dos Anjos, Padre Vieira, Castro Alves, Carlos Nejar... Tanto faz, recitará com verve e alma. Alma de poeta.
Um dia, quem tanto declama as artes alheias, perde a timidez para apresentar a sua própria. Mete-se num concurso, acotovela-se com outras dezenas de aficionados da poesia. E arrebata o primeiro lugar.
Não lhe importou o prêmio pecuniário recebido, doado em seguida. Para o poeta, o grande prêmio ele já recebera, era o declamar.
Naquela noite, na Praça Nauro Machado, coração da Praia Grande, as pedras seculares daquele chão e casario de tantas histórias, uma vez mais, testemunharam uma agradável predestinação: sermos terra de poetas.
MINHA ARTE:
Desejei por uns tempos ser pintor
E cheio de talentos, ser artista.
Confessei, efusivo, sem pudor,
Que já quis ser um grande pianista.
Mas de todos os planos descabidos,
O mais alto, a suprema meta,
Superando devaneios mais antigos,
Foi querer, por um dia, ser poeta.
Segue a vida! O sonho é o destino dos vivos...
Trago em mim todos os meus livros
E dos meus sonhos sou o guardador,
Pois leio em cor, leio em som e leio em verso
Que, de todas as magias do universo,
A arte que me cabe é ser leitor!
                              (Rinaldo Nunes)
Pin It

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar